2007-09-04

A Ritinha escreveu-me (?)

Não! Eu penso que aquela "carta" que este mês (surpreendentemente) recebi, era mais uma carta para ela própria. Mas foi com muita emoção que a recebi.Um texto lindo que me encantou e (inquietou) um pouco. Falaremos disso, eu e ela, se ela quiser.
Deixo-vos apenas um pequenino excerto dessa carta.
"Era uma vez uma menina chamada Rita, que gostava muito de... e depois encontrou uma porta...De que é que a Rita gostava?
Quando era menina, como todas as crianças, quis ser muitas coisas diferentes.
Cantora de ópera, cientista, bailarina. Estas são as que me lembro. Mas também me lembro de gostar muito de ler histórias de encantar, com duendes, castelos, animais, princesas... e de desenhar! Era maravilhoso.
A minha professora chamou-me num poema "pássaro-menina". Dizia que eu tinha muita imaginação e que estava sempre "na lua". Eu acho que a lua era a minha sala de chá..."
....
(A postagem que se segue já estava no meu blogue desde Fevereiro, reponho-a na data de hoje porque me parece vir muito a propósito. OBRIGADA POR ME PERMITIRES DE ALGUM MODO ENTRAR NA TUA SALA DE CHÁ!)

Esta foi uma nova "ninhada". Dela faziam parte todos estes alunos e de alguns deles tenciono falar-vos em detalhe.
Começo por falar da Rita, a mais pequenina da turma. Tão novinha que no 1º ano por vezes dormia a sua soneca. E era ver o cuidado dos colegas avisando: - Professora temos que falar baixinho, a Ritinha adormeceu. E ali ficávamos nós aveludando a voz até que a Rita acordasse. Sonhava certamente que era a Mary Poppins voando pelos céus pendurada no chapéu-de-chuva. (Era isso que ela nos contava).
Para a Rita fiz na despedida este poeminha.


RITA E A LUA

Alguém viu a Rita
ou sabe onde está?

- Espere aí professora
estou aqui, vou já!

E desce da Lua,
voo de cotovia.
Os olhos são sóis
que aquecem o dia.

Os braços são asas
de pássaro-menina.
Na voz a frescura
de água cristalina!

Que bom que foi tê-la
ali mesmo ao lado,
pondo nos meus dias
um tom perfumado.
(Rita, sempre na lua como ela própria dizia. (AFINAL HOJE SEI QUE A LUA ERA A SUA SALA DE CHÁ)
Rita, na foto, na fila do meio, a 2ª do lado direito, vestida de cor-de-rosa)

6 comentários:

Ana disse...

Mais uma bela história real !
Que nos delícia a nossa professora e amiga Carolina, pois a Rita como mais pequena era protegida como sempre fazem os maiores!
Mais um bonito poema, que gostei muito de ler:)))

Teresinha disse...

Ritinha! Sua SORTUDA!...

Carolina disse...

Ana e Teresinha, SORTUDA fui eu em ter sido professora naquele tempo e de Meninos e Meninas menos problemáticos do que hoje.
Claro que nem sempre a nossa vida era um Mar de Rosas, mas na memória prevalece sempre a parte positiva, porque a negativa, felizmente era a excepção!

Maria José Senos disse...

Mais uma história muito bonita Carolina, pois a Rita teve muita sorte de ter uma professora tão boa, um grande beijo.

Teresinha disse...

Esta é a Carolina que eu conheço.
DE VOLTA!
Fica por aí,tá?
Beijo

lami disse...

Carolina, o teu coração grande tinha um cantinho especial para cada um dos teus meninos e meninas, é por isso que nos delicias com as memórias que te deixaram. Obrigada!