2007-04-21

Amores-(im)perfeitos!


Anos sessenta.
Naquele dia rebentara a "bomba"!
Toda a gente ficou sabendo que "eles" tinham "um caso".
(Que risos escarninhos, que gozo, que invejas e frustrações vieram ao de cima nas mentes mais mesquinhas).
Toda a vila vibrou, saindo da pasmaceira!
Eu e a Ana Maria, perspicazes, vínhamos notando que um estranho e ternurento brilhozinho assomava aos olhos daqueles nossos dois professores quando se cruzavam. Ela, casada, jovem e bonita. Ele, casado, simpático e elegante.
Nós vínhamos notando... e o pior é que não fomos só nós a notar!...
"Rebentara a bomba"!
Foi com alguma tristeza e apreensão que nesse dia nos dirigimos para o liceu.
Ao passarmos numa rua, vimos junto de uma montra um alegrete cheio de amores-perfeitos. Parámos.Olhámos uma para a outra e sem palavras colhemos um raminho.
Chegadas à escola, vimos a nossa professora sozinha numa sala.Olhos vermelhos e congestionados de quem muito tinha chorado e pouco tinha dormido.
Sem palavras, estendemos-lhe o ramalhete. Recebeu-o com comovida surpresa e disse: - "O .... está arrasado e precisa de saber deste vosso gesto!"
Saiu e voltou pouco depois com "ele".
Trancaram a porta e ficámos ali os quatro abraçados, chorando.
Centenas, milhares de dedos apontados, e apenas nós duas, pouco mais que adolescentes, estávamos ali com um abraço e um ramo de amores-perfeitos.
.....
Naquele tempo, os escândalos eram mesmo escândalos, não se tinham tornado como hoje "lugares- comuns".
Mas... tal como outrora, ontem, hoje, amanhã e sempre, encontraremos:
Amores-perfeitos.
Amores-quase-perfeitos.
Amores (que a moral e os bons costumes tornam logo à nascença) ,
Amores-(im)perfeitos.
E se bem olharmos para os alegretes da vida, o que mais existe por aí hoje em dia, são descoloridos, discretos e melancólicos Amores-(des)feitos!
Ah!...muito raros e dispersos ainda se encontram por vezes Amores-(re)feitos!
....
Epílogo: Da nossa professora perdemos o rasto. O nosso professor alguns anos depois divorciou-se da esposa e refez (espero eu ) a sua vida com outra mulher.
....
(Usei neste texto, a palavra «alegrete» que me parece quase em desuso e que significa como devem ter percebido, pequeno canteiro de flores.)

9 comentários:

Teresinha disse...

Alegrete.
Talvez um pouco, em desuso, mas ainda a oiço muitas vezes!
Eu gosto dessa palavra. É "alegre"!
- E os amores? Ai, os amores!
Aguns são: q u a s e, perfeitos...
Temos também o amor platónico!
:)))

Carolina disse...

É verdade! Esqueci-me desse!...
Parece mentira, eu que sou uma "platónica profissional"!
Sempre atenta e oportuna a nossa Teresinha!
Bjs e lá te esperamos de garganta afinada!

lami disse...

Sardinheira apanhada pelo Cupido!
Apaixonou-se pelo amor perfeito
Vive um Amor Platónico
A rebentar dento do peito

Estão num lindo alegrete
Agora que é Primavera
Quando vier o Inverno
Vamos ver o que os espera!

srs disse...

Bom dia Carolina ,minha amiga.
Adorei esta tua história e mais era disto que tinha também saudades,e já te disse que tu amiga, me fazes "acordar" quando deliberadamente "hiberno", gosto de ti Carolina como tu és com todas as tuas qualidades e com "alguns" defeitinhos ,gosto mesmo muito. silvana ramos sapage

srs disse...

E estes teus Amores Perfeitos ,estas tuas flores são lindas e como eles se tornaram para alguém nas flores mais lindas do Universo.....beijos e ofereço-te as flores que mais gostas que saõ??????silvana ramos sapage

Bia dos santos disse...

Olá Carolina:
Todos os amores são perfeitos quando estamos no alegrete da paixão.
Beijinhos

Carolina disse...

Bom dia a todas!
Ai os "alegretes" das paixões!
A flor que mais gosto? Costumo achar que são Papoilas!
Bia, tem andado fugida?

Bia dos Santos disse...

Olá Carolina:
Fugida nada, sempre a voar convosco.
Beijinhos

Ana disse...

Lindos estes amores (Perfeitos) tudo é perfeito quando é sincero !!! BJ.