2007-05-16

Dia da Espiga!

E lá íamos nós, de farnel aviado, à Quinta da Dona Rita, apanhar a espiga!
Naquele tempo as searas enchiam-se de papoilas, autênticos gritos vermelhos no verde dourado das espigas ondelando na brisa.
O ar era tão puro o cheiro do campo era respirado a plenos pulmões.
E a gente corria, corria, saltava, tropeçava, caía... "- Olha que tu cais, Maria Carolina! (gritava a minha avó).
Hoje, o cheiro bom dos campos continua! Mas, se bem repararem as papoilas quase que desapareceram.Os produtos que se põem na terra acabaram com elas. Apenas as podemos agora ver na berma das estradas. Na verdade também as grandes searas já pouco se vêem. Foram substituídas por campos vedados onde pasta o gado.
Tudo muda! Tudo se altera! Só o grito vermelho das papoilas se mantem!

"Dia da Espiga
Esta Quinta-Feira assinalada no calendário cristão como da Ascensão, é igualmente o dia em que tradicionalmente se ia ao campo colher um ramo em que a espiga de trigo era o elemento mais simbólico.
Compunham igualmente o ramo, um malmequer, uma papoila, um ramo de oliveira, um ramo de parreira e um pé de alecrim.
Simbologia associada a cada elemento:
Espiga – Pão
Malmequer – Ouro e prata
Papoila – Amor e vida
Oliveira – Azeite e paz
Videira – Vinho e alegria
Alecrim – Saúde e força"
(Apontamento recebido num email da Laura)


10 comentários:

Maria José Senos disse...

Por acaso na minha terra não tinhamos essa tradição, nunca ouvi falar se havia ou não sei nunca ouvi a minha mãe falar das papoilas não sei se lá havia, só soube do dia da espiga cá em Portugal, por acaso tenho algumas papoilas no meu quintal, e gosto de vê-las, mas agora já há muito poucas, gostei da história um grande beijo.

carolina disse...

Claro! Os costumes seriam outros e certamente que com o diferente clima as plantas também não serão as mesmas.

lami disse...

O Dia da Espiga tem a ver com a data da Páscoa e também com o facto de ser tempo de searas já com espigas porque em Junho é altura da ceifa.Em África não havia essa tradição.

Ana disse...

Em África nunca vi papoilas, mas havia outras tradições maravilhosas ! Muitas saúdades de quando fazia-mos um grande almoço muitos doces, no dia de Natal.
Pegar na família, os amigos faziam o mesmo, praia com eles todo o dia e assim passava-mos o Natal:))))

srs disse...

Bom regresso Amiga,
Vens como nova????Espero que o "rapazito" ,te tenha tratado bem, senão quando vier ver os tios(já não me lembro se dele ou da namorada)fazemos nós a "terapia"ahahahaha e em relação a espiga não era nesta altura que os rapazes roubavam um beijo as maçoilas se apanhassem uma espiga????Já tinha saudades.
silvana ramos sapage

Teresinha disse...

Fomos à espiga Carolina, mas...nada!
Só havia papoilas e malmequeres, e antes de chegarmos a casa já estavam completamente murchas!
Eu trouxe,mas,não deu...
Andámos muito, muito, por carreiros e valetas, vimos vaquinhas, e fomos parar ao pé da Lagoa. Duas horas a andar sem parar, foi difícil mas eu gostei!!!

carolina disse...

Quando saí do "italiano" ainda vi a Laura e a Elisa.
Vinham "derreadas" com o calor.
Mas penso que para além de saudável é um convívio interessante.
Se pudesse ia com vocês!...
;(

O céu da Céu disse...

Desde miúda, que neste dia da "espiga", íamos para o campo com grandes farnéis...depois havia bailaricos aqui e ali...e de regresso todos traziam os raminhos de espigas,malmequeres,papoilas...es se raminho era colocado atrás da porta até ser substituído por outro no ano seguinte.A tradição foi-se perdendo.

lami disse...

Pois a nossa caminhada foi sempre junto à Ribeira da Badoca até ela desaguar na Lagoa. Caminho bucóilico e muito fresco por causa da vegetação densa e da água correndo ao nosso lado!

Carolina disse...

Oi, Céu!
Oi, Laura!
Oi, Ribeira da Badoca!