2009-04-12

Os Símbolos da Páscoa! (4)

Amêndoas

As amêndoas são sinal de alegria pascal e de apelo à partilha e à paz.
A referência mais antiga do cultivo das amêndoas figura no Antigo Testamento. Eram cultivadas pelos gregos e muito apreciadas pelos romanos, numa versão com açúcar. As amêndoas açucaradas talvez sejam aa primeiras guloseimas da História.
Durante muitos séculos, marcaram presença apenas em festas e banquetes, devido ao preço elevado. Eram colocadas em cestinhos enfeitados com fitas de cor, no início do séculoXVIII, e oferecidas como presente aos convidados.
O hábito acabou por chegar à época da Páscoa. Actualmente a variedade vai desde o tipo francês, mais espalmada, e as com cobertura de chocolate, que são as mais comuns.
Há ainda as amêndoas de sobremesa (com cobertura de chocolate, caramelo ou canela) e as exóticas (com cobertura de queijo mascarpone, por exemplo).
(Expresso de 04/04/2009)
E já agora, BOA PÁSCOA para todos!


7 comentários:

Banalidades disse...

Informações muito pertinente, Carolina!
Obrigada pelos votos de Páscoa Feliz! Espero que a tua Páscoa seja o máximo! Nem espero outra coisa, pois uma tia orgulhosa como tu terá muito para festejar. Adorei o trabalho que vi no Centro de Artes em Sines! Achei um trabalho de elevadíssima qualidade! Amei os textos duros e fatais de Al Berto, amei a forma como foram ditos/dramatizados; amei a luz, amei a movimentação, amei os adereços, amei a voz, amei Al Berto!
Este poeta é difícil, complexo, denso, duro, a sua poesia escandaliza e seduz! A mim, arrebata-me e eleva-me a universos diversos! A forma como todo o espectáculo é montado e a forma como os dois actores se entregam ao texto é qualquer coisa de inédito! Gostei muito.
A Ana lúcia esteve perfeita e tens de a felicitar pelo belíssimo trabalho!
Estevi quase sem respirar de princípio ao fim. Fui no Domingo e, lá estava o Mário Primo a ver a sua "aprendiza" que bem merece o seu aplauso, pois que já ultrapassou, em muito, o seu velho mestre! Deve ser tão bom ter assim talento...
Jinhos para ti e para ela, não esquecendo os meus sinceros agradecimentos por tudo o que ela me deu durante cerca de 90 intensos minutos.

Carolina disse...

Agradeço a tua apreciação sobre "A Noite" e o desempenho dos actores.
Eu fui no sábado e por isso não te vi, o que de qualquer modo seria difícil naquela escuridão nocturna!...
Tenho pena também de não ter visto o Mário Primo ele tem grande orgulho na sua pupila. Quando ele foi ver o Cabaret até os ollhinhos brilhavam de satisfação. É um querido. Eu gosto muito dele.E tem feito muito pelo desenvolvimento da Cultura em Santo André.
Agora vão com a peça 15 dias para Palmela e depois Coimbra.
bjhs
;)

Maria José disse...

Tive muita pena se soubesse que o Mário Primo ia ao teatro tinha lhe pedido boleia, por acaso foi meu esquecimento não me lembrei dele fica para a próxima,foi pena esses 2 dias não havia quase cá ninguém ainda bem que correu tudo bem um grande beijinho para a tia da Ana Lúcia ela é o máximo adorei o Cabaret.

lami disse...

Este ano estive pouco virada para as amêndoas, não sei porquê. Mas gosto de as trincar imediatamente e os dentes nem por isso agradecem :))

O céu da Céu disse...

Beijinhos de Páscoa.
Até breve.

Sentidamente disse...

Não vi a Ana Lúcia! Este período foi complicado para mim em termos de afazeres. Claro que vou ter muitas oportunidades de a ver representar só não terei, com textos do Al Berto.
Sobre as amêndoas gostava ainda de dizer que dantes havia uma prática em que se fazia um “contrato”, apostando-se amêndoas, (250 gramas, por exemplo). Durante 15 dias, havia a preocupação do primeiro apostador a avistar o outro, dizer “oferece”. Contudo, não havia consequências. Só no Sábado de Aleluia depois do meio-dia, o primeiro a dizer “oferece” ao outro, ganhava a aposta.
Da Páscoa, aprecio especialmente a herança pagã. Quanto ao sentido religioso, nunca entendi ou senti a alegria da ressurreição porque se carregava muito na tristeza da quaresma e semana santa (procissão dos passos, 5ª e 6ª em que tudo era silêncio e meditação. No campo não se trabalhava a rádio não dava programação habitual, Etc).
Beijinhos

Carolina disse...

Olha Juja, essa dos contratos também me lembro muito bem. Era um desassossego até chegar a hora de dizer: oferece!
Bons tempos em que as coisas simples como essa serviam de animação e brincadeira.
;)