2007-03-26

Os bolinhos da vizinha Cachapim!


Mal arranjava uns trocaditos (talvez 50 centavos...), lá ia eu à "pastelaria" da vizinha Cachapim comprar um "fardinho de palha".
Era assim que nós chamávamos a umas deliciosas fatias de bolo (talvez pão de ló) que eram regadas com um líquido açucarado que as deixava húmidas e muito apetitosas. Depois eram envolvidas em côco, ficando com o tal aspecto de "fardinho de palha branca".
Quando eu digo "pastelaria", só uso este termo porque não sei que outro nome usar. Na verdade era apenas uma loja, sem mesas nem cadeiras, sem prateleiras nem máquinas de café. Apenas um balcão com uma parte envidraçada onde se alinhava a "grande variedade" de bolos: "esses", "amores" e "fardinhos". Havia também uma montra para a rua, onde os bolinhos, misturados com algumas mosquitas, se mostravam para os meninos e meninas que como eu ( amigos de coisas docinhas) se babavam todos, passando e repassando rua abaixo rua acima.
Nunca mais encontrei bolos com AQUELE SABOR!
...........
( Desde que pensei fazer esta postagem, uma certeza instalou-se na minha cabeça:
CACHAPIM só podia ser nome de passarinho!...
Procurei na internet e nada. O mais aproximado era Chapim-Real. Peguei em dois dicionários que tenho (Lello Universal), cada um pesa 4 Kg e meio. E então entre 9 kgs de palavras lá estava:
Cachapim, o mesmo que Mejengra, nome vulgar de pequenos pássaros do género Parus, espalhados por quase todo o globo.)
Respirei aliviada: a minha intuição confirmou-se!)
Não sei se as minhas vizinhas eram "arraçadas em pássaro" ou não, mas sei que, se os cachapins ou as mejengras apanhassem aqueles bolinhos era bicada atrás de bicada até encherem os papinhos com aquelas maravilhas!


14 comentários:

Teresinha disse...

Pois eu acho que vou conseguir
"matar-te" esse desejo Carolina.
Pela descrição...achei!!!
Não tem o feitio de fardinho de palha. Chamam-se tão somente"Patas de Veado".Mas,acho que é isso.
Como pensas em bolos mulher!!!
Deves até sonhar com eles. Vais ter de aguardar uns...diazitos,
pois aqui não há.Só te digo que são tão fofos que se derretem na boca!!!...
AGARDA,então.:)))))Vais ver!

Teresinha disse...

Esqueci-me de te dizer Carolina,esses bolos chamados "amores",deve ser comigo!!
(um dia destes vou fazer uma postagem com nomes de bolos que constam na ementa do meu casamento) Vais ver nomes bem curiosos de bolos que existem lá para o meu Ribatejo!
(Vina e Gil,atenção não vale divulgar...)
-Desculpa Carolina, hoje excedi-me um pouco,é que,já estou melhor.;))

Carolina disse...

Aguardamos cheiinhos de curiosidade!
Hum...Hum!...

Bia dos Santos disse...

Olá Carolina:
Começamos o dia docinho, que bom.
Por falar nos docinhos da nossa infância, lembro-me das alcomonias, rebuçados de pinhão, os pastéis de nata do Sr. pasteleiro dos bigodes grandes lá de Santiago.
Ah, e aqueles rolinhos de ovos embrulhados em hóstia, eu ia comprá-los ali junto ao antigo posto da policia, lembra-se Carolina? BJS

Ana disse...

Ó minhas amigas, eu bem me recordo de ir a esses doces, com a minha prima Teresa, que bons que eram,falem mais em doces vamos saboriando, sem os comer;))))

Carolina disse...

Boas lembranças, as vossas também!
Os tais rolinhos esses não tenho ideia. Ficava mais longe da casa onde eu vivia!
;)))

Bia dos Santos disse...

Eu tb gosto de salgadinhos, lembrei-me dos brendeirinhos de torresmos que a tia Chica(agora na casa dos noventa) me fazia, ai o meu colesterol a subir e depois artérias entupidas e Bia com as costinhas na maca a fazer angioplastias.
A propósito como está o vosso amigo João? O que lhe aconteceu ?ou muito me engano ou ele pertence ao meu club. Desejo-lhe uma rápida recuperação.
Beijinhos

Ana disse...

Carolina gostava de saber quem é a Bia dos Santos, de Santiago é da nossa mocidade ???
Á esses brendeirinhos, com linguiça que a minha mãe também fazia !
Assim como os bolinhos de torresmos, que maravilha ;)))

Bia dos Santos disse...

Olá Ana:
Quem sou eu? Olhe, uma mocinha com 57 anos, natural de Santo André, membro da familia do Funchal, fui viver para a Lagoa aos 4 anos, estudei no Externato de S. José em Santiago de Cacém e vivo em Lisboa desde finais dos anos 60.Adoro a minha terra e orgulho-me das minhas origens.
E já agora, tenho uma filha que se chama Ana.
BJS

carolina disse...

Bolinhos de torresmos também a minha mãe fazia para vender lá na nossa Casa de Pasto "A Floresta", na Estrada do Poço, frente ao António Sabino ferrador. Lembram-se???

Eu também ñ sei se conheço a Bia dos Santos. Só sei que é prima da Zília. A propósito, andou no Ext S. JOsé? Então para o ano apareça no almoço.Todos os anos em Março a "Malta " se revê e mata saudades nesse convívio.Se calhar a Bia nem sabe que existe esse encontro anual.

Ana disse...

Olá Bia dos Santos, pois vou responder através do blog da Carolina, porque foi por aqui que fiz a pergunta.
Não conheço pessoalmente os seus familiares, eu sou mais velha já fiz 60 sou natural de Santiago, vivi lá até aos 17 depois fui para Oeiras, com os meus pais, de lá casei fui para Moçambique, depois da Independência regrecei a Portugal, vivi em Vila Nova de Santo André, 24 anos e á 6 vivo em Sines,um beijinho para si e para a Ana, que deve ser boa rapariga :)))

Ana disse...

carolina, já me tinhas dito que era prima da Zília, só que a Bia escreve muito no teu blog, e fala muito em Santiago, nos velhos tempos pensei que já conhecias, e secalhar até conheces !
xau um beijinho para ti :))))

Carolina disse...

Pois, parece que ela se lembra de mim!
Mas tu sabes por experiência própria que estas minhas lembranças são levadas da breca!...

Bia dos Santos disse...

Olá Carolina:
Sei que existe o almoço e tenho recido convites, este ano não fui, mas estive lá o ano passado.
Foi bom.

Bjs