2007-07-31

Os sapatos


Chamava-se Mariana, tinha 8 anos e estava doente com febre.
Uma colega avisou: "Mariana, vê se amanhã podes ir à escola. Vão distribuir sapatos às alunas."
Mariana não tinha sapatos.
No dia seguinte, com grande dificuldade lá se levantou e foi à escola. Talvez assim conseguisse ter uns sapatos. Com o magro salário do pai nunca os teria.
Mal a avistou, a professora, apontando para ela disse que quem não vinha à escola nos outros dias, também nesse dia não faria falta. Não haveria sapatos para quem só aparecia quando havia presentes.
Mariana voltou muito triste para casa.
O pai, sentido com a injustiça, foi protestar junto da professora.
Como não chegaram a um entendimento, o pai (soberano) "decretou": "Pois fique sabendo que a minha filha nunca mais vem à escola!"
Chama-se Mariana e foi esta a história que ela me contou quando lhe perguntei porque sabiam os seus irmãos ler e ela não.
Mariana cresceu.
Hoje tem três filhos e quatro netos!
Viajou por muitos lugares.
Tem muitos pares de sapatos!
Mas... nunca esquece que foi por causa de um par de sapatos que nunca aprendeu a ler!



13 comentários:

Maria José Senos disse...

Gostei da história já estava com saudades das suas postagens, um grande beijo.

Anónimo disse...

Ate que enfim ! Ja estava preocupada .Faz-me falta lê-la.
bjs de lontraboa

lami disse...

As tuas histórias , Carolina, tão humanas e tão reais fazem-nos bem ler e, de certeza, que te faz bem escrevê-las!

Teresinha disse...

E tudo por causa de uns sapatos!
Provávelmente, essa "professora", não sabia o quão importante era possuir um par de sapatos que fosse!?...
-Que bom que voltaste!!!

zilia disse...

Olá Carolina, que bom ver que já estás com coragem para contares histórias. Gosto de saber que já estás com mais genica.
Um beijão para ti

Carolina disse...

Olá a TODAS as minhas Amigas!
Vamos lá a ver se a inspiração volta!!!
Esta história foi-me contada por uma prima.
Que cruel a professora e que autoritário o pai.
Tempos que já lá vão! (?)
Irão??
A crueldade continua a existir e o autoritarismo também!
Outras facetas?

antonio disse...

Boa Noite Carolina gostei imenso da historia dos sapatos, quando criança aconteceu-me o mesmo


Um beijo Ferreira

António Gil disse...

Olá, Amiga.
Tinhamos a certeza que as tuas meias-solas estavam boa e que, mais dia menos dia, voltariamos a ver-te "saltitar" pela blogosfera.
Mas também sabemos que, mesmo descalça, o farias.
Bjs,

carolina disse...

Como a Lianor do Luís de Camões:
"Descalça vai paa a fonte
Lianor pela verdura...
...................
Nem fermosa nem segura..." (acrescento eu)

Dulce disse...

Fico feliz por teres voltado, a postar no teu blog!...
Gostei muito da história que contaste, muito humana e muito real, quantas histórias iguais, não haverá por aí?...
infelizmente perdem-se oportunidades, que poderiam mudar a vida de uma pessoa, por causa da injustiça dos outros,infelizmente acontece!...
Bjs

Anónimo disse...

Pensei muito nessa história Carolina.
Achei que o pai dessa menina fêz o que ele achava certo e acho que esse homem pode ter prejudicado a filha num aspecto, mas por outro lado, ele mostrou para a filha que era um homem honrado e não deixou se rebaixar por um abuso de poder que teve a professora, sem moral, de falar daquela maneira com uma criança que ela sabia da situação.
Eu já presenciei e ouvi muitas histórias destas aqui em Portugal, em que os mais humildes têm que se submeter a uma elite para poderem sobreviver, sem outras alternativas.
Hoje em dia a menina têm muitos sapatos, e conhece muitos lugares, apesar de não saber ler e escrever, acho que deve ter valor essa menina. Apesar de não saber ler escrever têm cultura e honra, aprendeu pelo exemplo.
beijinhos
Aparecida

carolina disse...

Na verdade acertaste.
A minha prima Mariana é uma Grande Mulher!
Concordo com a tua apreciação.
Bj para ti!

Ana disse...

Como tudo isto aconteceu à Mariana !
Pois deixa uma criança de ir à escola por um par de sapatos!!!
Os pais eram muito orgulhosos naquela época, as professoras eram muito injustas para com os seus alunos.
Ainda bem que tudo mudou para melhor, a Mariana cresceu com essa mágua mas não deixou de ser uma grande mulher, bjs